domingo, 4 de agosto de 2013

Hércules não tem duas cabeças

A inquietude estava impressa no rosto de Hércules. Na fleuma tentativa de acalmar o irmão, Perseu disse:
- Oras, é apenas uma hidra, com... Bem... "Umas vinte" cabeças. Nem são tantas se você parar para analisar.
- Sua tentativa de me acalmar não está funcionando Perseu. Como pode saber que vou derrotá-la? Não és o Oráculo de Delfos.
- Não sou, infelizmente. - Suspirou Perseu que estava um pouco encabulado pela sua tentativa ter sido em vão. Tentou reorganizar as ideias e com um pouco de mal jeito, prosseguiu. - Tente atacá-lo pelas costas, querido irmão, deixe-a confusa, e com um ataque surpresa execute-a. Foi isso que fiz com a górgona medusa.
- Medusa tinha apenas uma cabeça, não vinte. - Replicou Hércules irritado.
 Perseu era sempre bem humorado, e logo conseguiu fazer piada com o assunto.
- Bem, então foi sorte minha que fiquei com a górgona não né? - Sua piada seguiu-se com uma risada extravagante, o que não agradou nada o irmão, então ele parou.
 Perseu resolveu ficar em silêncio, percebera que o irmão estava muito agitado e frenético, sem sucesso em suas tentativas, resolveu desistir de tentar acender uma chama de esperança nos perturbados pensamentos de Hércules.
 Na arena, enquanto a hidra se debatia e Hércules se esquivava, na arquibancada havia Homero, sentando com seu caderno de anotações, registrando todos os fatos e acontecimentos da batalha. Baco estava sorridente, com uma taça de vinho na mão, ria sem parar ao ver o desespero de Hércules provocado pelos golpes da hidra, suas risadas extravagantes irritavam profundamente Hades que estava ao lado de Baco. Atena assistia à luta atentamente e ansiosamente, porém, estava entediada ao mesmo tempo, pelo fato da luta não levar a nenhum resultado, eram cenas repetitivas, a hidra atacando e Hércules desviando. Afrodite penteava seus belos cabelos, só olhava para a arena para apreciar os belos músculos e a estatura forte de Hércules.
- Vamos Hércules, faça alguma coisa! Ataque-a! - Gritava Quiron, o centauro que treinou Hércules. - Vamos rapaz, não foi pra isso que te treinei!
 Teseu assistia à cena deliciado com o espetáculo e se gabava por ter conseguido acabar com o minotauro com mais inteligência e perspicácia, também, com mais agilidade.
- Ora, eu acabei com o minotauro muito mais rapidamente! - Dizia Teseu.
 Ulisses na expectativa de ajudar Hércules, gritava estratégias de batalha para ele, porém Hércules mal ouvia suas estratégias e quando ouvia, pensava que eram estratagemas.
 Com um golpe da hidra, o escudo de Hércules foi parar d'outro lado da arena, na tentativa de se defender dos golpes do monstro, Hércules cortou outra cabeça da Hidra.
- Não seu tolo, não! A cabeça não! Não é assim que se faz! - Gritava Quiron desesperadamente. - Não vê que nascem duas no lugar?! Não percebeu ainda com essas 20 cabeças implantadas na hidra? Seu tolo!
- Mas se eu não cortasse a cabeça dela, ela cortaria a minha, e minha cabeça não costuma nascer de novo Quiron. - Respondeu Hércules.
 Hércules negligenciava todas as tentativas dos amigos de ajudá-lo, além de orgulhoso e altivo, ele estava agastado, cada vez que gritavam da arquibancada, Hércules ficava irritado. Perseu, percebendo o desespero do irmão e no perigo com que ele se metera, resolveu ajudá-lo de uma forma diferente, de uma forma mais "Perseu".
 Hércules recuperara o escudo e a disputa que ocorria na arena não se modificou. Zeus observava envergonhado com a "falta de prática" do filho. Ares, irmão de Hércules e Perseu, filho de Zeus, enciumado pelas atenções que o pai sempre dava ao filho Hércules, se gabava pelo fato de que se fosse ele no lugar de Hércules, a hidra já estaria morta, pois era o deus da Guerra e tinha mais experiência. A intenção de Ares era nada mais, nada menos que chamar a atenção do pai e provocar orgulho no mesmo, mas como sempre, Zeus não lhe deu ouvidos.
 - O que é isso no céu? - Gritou Édipo apontando para o objeto não identificado.
 Todos olharam para onde ele estava apontando e logo aquele objeto apareceu com mais transparência. Era Perseu, montado em seu pégaso e voando pelos céus da arena. Se aproximou da hidra e voava ao seu redor, a hidra tentou abocanhá-lo, porém pégaso era demasiado rápido e veloz para que a hidra conseguisse alcançá-lo. Perseu estava distraindo a hidra para dar oportunidade para que seu irmão atacasse-a, o irmão logo compreendendo a estratégia de Perseu, resolveu seguir o plano e aceitar a ajuda, renunciando seu orgulho.
Hércules mais seguro, afrontou a hidra com vários golpes de espada em seu peito, suas patas e seu rabo, porém os ataques eram inúteis em relação à hidra, que era demasiada grande e de uma pele extremamente dura devido as suas espessas, numerosas e grossas escamas. O plano não ocorreu como planejado, a hidra ainda não estava no chão, percebendo seu fracasso, Perseu recuou e deixou o irmão continuar sozinho com a luta. Hércules ficou perplexo ao perceber que o irmão o abandonara, e o vendo sumir com pégaso por trás das montanhas, teve uma brilhante ideia.
 Todos ficaram alarmados ao verem Hércules fugindo da arena, pensaram que ele havia recuado e desistindo da luta. Ares não pôde deixar de zombar da impertinência do irmão, o que deixou Zeus furioso.
 E no topo da montanha mais próxima da arena, estava Hércules, que fora avistado com surpresa por todos da arquibancada, atrás da montanha estava o sol que batia na arena, e no meio de todo aquele brilho, podia-se ver muito bem o forte corpo de Hércules. Surpresos e ao mesmo tempo confusos, os espectadores ficaram assustados ao ver Hércules erguendo uma rocha no topo da montanha que era 20 vezes maior o seu tamanho. Ele utilizou toda a sua força e lançou a rocha que voou longe e caiu exatamente em cima da hidra, como Hércules havia planejado. A hidra não conseguia relutar contra a grande rocha que estava sob seu corpo.
- É disso que estou falando, isso mesmo rapaz! - Gritava Quiron triunfante.
A hidra enfim estava derrotada, Ulisses apreciando a estratégia de Hércules, comentou:
- Mas que bela estratégia, nem eu havia pensado numa coisa dessas!
 Após a luta, todos foram bajular e parabenizar Hércules pela sua vitória triunfante, ninguém nunca vira Zeus tão orgulhoso.
 Todas as mulheres se derretiam pelo seu novo herói, inclusive Helena de Tróia, o que deixou Páris muito enciumado.
 Hércules estava cansado e suado pelo seu devido esforço de batalha, porém, sabia que iriam dar uma grande festa no Olimpo pra comemorar sua vitória, assim poderia descansar e se divertir.
 Perseu havia voltado, ele tinha ido buscar a cabeça da Medusa, mas viu que seu irmão, sozinho, já tinha feito o trabalho.
 No Olimpo, todos comemoravam, se divertiam, conversavam, bebiam e comiam, Hércules estava enfim livre, podia descansar e tirar dias e dias de férias. Quiron, que se gabava pelo fato de Hércules ser seu aluno, aproximou-se de Hércules para parabenizá-lo pela milésima vez e lembrá-lo de que fora seu aluno, complementou:
- Uma hidra já foi, está preparado para lutar com mais duas amanhã?
- O quê!? - Exclamou Hércules. - Duas?! Ai minha santa gréia do Tártaro, que Gaia me salve!
Tauane Vassoler

0 comentários:

Postar um comentário