sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Jane Austen of the Week - O que pensaria Jane desses "romances" da atualidade?

 Eu falei que ia ter um pouco mais de Jane Austen aqui no blog e vou cumprir minha promessa, afinal, quem não gosta de um bom romance? Já como dizia Austen 
"A pessoa, mesmo sendo um cavalheiro ou uma lady, que não aprecia um bom romance, deve ser intoleravelmente estúpida."
 Sem generalizar, porém, sim, bons romances são dignos de admiração ou apreciação, mas o que são bons romances? O que os difere dos romances ordinários? Bom, todos têm seus gostos, isso é fato, não há o que discutir, porém, todavia, eu não classifico muitos dos romances atuais como bons romances, claro que há exceções, pois ainda vivem escritores incríveis de romance em nosso mundo, e espero que muitos gênios romancistas ainda estão por vir. Um exemplo que eu posso dar de um péssimo "romance" é o livro "50 Tons de Cinza - E. L. James" (minha opinião, não tenho nada contra quem gosta), talvez porque meu gosto para romances seja mais "cult" e eu prefira o estilo clássico do amor e da escrita, mas não cabe a mim julgar, cabe às pessoas que entendem do assunto e que merecem a palavra, que eu diria, Jane Austen.

 Podem achar estúpido, talvez, o fato de eu comparar dois livros que foram escritos em diferentes épocas onde os costumes, os modos, as vestimentas, a fala, tudo era diferente, sim, não se é justo comparar, na época de Austen, um escritor que se atrevesse a escrever o tipo de romance da autora E. L. James, seria com certeza criticado e levado como um maníaco sexual, principalmente se fosse uma mulher que escrevesse, Jane já sofrera demasiadas críticas quanto a seus livros de romance, por ela ser mulher e vista como "inexperiente", e veja bem, nem beijos ocorrem em seus livros, imaginem aquelas cenas eróticas! Mas não importa a época, o amor verdadeiro será sempre o mesmo, as inseguranças, os sentimentos, isso não muda, o que muda é a estúpida forma de como os novos personagens agem.
 Muitas pessoas podem considerar Jane Austen um romance chato, por não ter cenas amorosas nem mesmo beijos, mas é isso mesmo que faz de seus livros bons romances comparados com os atuais. Problemas com famílias, preconceito da sociedade média com a alta, primeiras impressões, personalidades femininas, inocência, maturidade, casamento, isso é Jane Austen. Eu não sou uma grande apreciadora de romances atuais, admito que já li, acho Nicholas Sparks um ótimo escritor, mas falta algo em todos os livros dele, sem falar que as histórias são sempre semelhantes e as personalidades de seus personagens variam pouco. Os livros de Jane não baseiam-se apenas no amor, eles baseiam-se na sociedade, na vida de suas protagonistas e suas inseguranças, variados tipos de personalidades em seus personagens que podemos encontrar muito bem na sociedade de hoje, ganância, orgulho, preconceito, maturidade, afetuosidade, inocência, insensatez, extravagância, enfim, são tantas personalidades e Jane as descrevem tão bem! Ela compreende o próprio personagem, ela sabe que se um personagem é "dessa personalidade" ele vai fazer "tal coisa", é incrível, mesmo, romances não são apenas beijos, abraços, o quanto um ama o outro, uma decepçãozinha e depois um final feliz, NÃO! Se é necessário uma boa história, um bom contexto, um conceito para tudo, é necessário novidades, fatos sobre a sociedade, fato sobre nós mesmos, nossos sentimentos, inseguranças, precisamos de personagens que possamos nos ver neles, precisamos de personagens para odiá-los, isso é um bom romance. Hoje em dia, a MAIORIA (mas não todas) das protagonistas do romance são quase sempre inseguras, virou cliché, não variam mais, as histórias estão ficando cada vez mais semelhantes, não há novidades, os livros estão previsíveis, você le o primeiro parágrafo e já deduz o final, com quem ela vai ficar, as complicações que ela vai ter, etc, o romance está chato ao meu ver, mas como sempre, há exceções, há livros espetaculares atuais que não incluem nessa lista.
 Agora, entrando no quesito "amor" do romance, continuo preferindo o estilo clássico, isso é mais pessoal, mas ao mesmo tempo, é mais ético. Nos romances atuais é tão fácil se "apaixonar", mas não podemos colocar a culpa nos livros, mas sim, na própria sociedade de hoje, onde o contato entre as pessoas foi muito facilitado, encontra a garota, pede seu facebook, seu celular, se encontram na balada, ficam, namoram, dura um tempo e deu, uma das coisas que me fascina no clássico é que é exatamente o oposto disso, a sociedade era cheia de regras, se encontravam em bailes e dançavam, conversavam bastante, não chegavam "se pegando" por causa das aparências, eles tinham oportunidades de conhecer melhor as pessoas, observar a leveza das mulheres ao dançar e o bom humor delas, para assim, uma delas ser sua escolhida, o amor era muito mais valorizado, os detalhes, ele era muito mais alimentado e menos enjoativo, aquela expectativa de se verem no próximo baile para dançar, não para beijar, isso aumenta muito a afeição e você pode conhecer muito bem a pessoa antes de "entregar-se" para ela. O romance de hoje não é bem um amor de verdade, seriam mais histórias de paixões, não amor, pois o amor se constrói com o tempo, porém, agora fazem pensar que quando duas pessoas se entreolham, já pensam que são almas gêmeas. Em Orgulho e Preconceito, que é o livro de Jane Austen cuja a maioria das pessoas sabem a história - inclusive você deve saber - Darcy tem primeiras impressões de Elizabeth e Elizabeth de Darcy, claro, que com o passar do tempo Darcy realmente se apaixonou fortemente por Elizabeth, mas antes disso, várias coisas aconteceram. Ninguém ama a aparência, se apaixonar talvez, mas amar é algo profundo demais, é algo que só que ama de verdade pode dizer a sensação. Darcy cultivou um amor por Elizabeth ao ver sua personalidade, ele mesmo deixa claro no livro como eu coloquei no ultimo post sobre Jane Austen (confira aqui), ele gostou do seu senso de humor, da sua espontaneidade, de sua inteligência, a Elizabeth o amou, não quando o viu, não quando ele falou que a amava, mas sim, quando ela conheceu seu verdadeiro caráter. Alguns dizem que pode ser enrolado os dois apenas se corresponderem no final, já eu digo, que mesmo muitas pessoas dizendo ser um livro falso, de romance falso, eu acho que é um dos que mais se aproxima da realidade do VERDADEIRO AMOR, pois todos temos primeiras impressões, mas o amor é algo que vem com o tempo, o amor é cultivado pela própria pessoa que o dá e que recebe, isso é amor, eu diria que os livros de hoje mais falam sobre aquela paixão ardente, adolescente, aquela vontade louca de estar junto, eles falam mais disso, mas não do verdadeiro amor. Enfim, a paixão hoje se exerce facilmente, as pessoas se satisfazem com as outras, se vêem uma vez, se beijam, nunca mais se olham, como se fossem desconhecidos, esse é um dos motivos pra eu querer viver nos livros ou no século da Jane Austen, onde as pessoas se esforçavam para agradar os outros com boas falas e condutas, não ostentando quantas garrafas de cerveja tomou ou o tamanho de sua bunda ou do seu bíceps, onde os detalhes, onde a alegria era que seu objeto de admiração aceitasse sua mão para dançar, onde eles valorizassem a primeira vez que dançavam com elas, que tocavam em suas mãos ou até conversavam com elas, hoje também, nem conversam mais tanto, é beijo de um lado e beijo do outro, infelizmente, não podemos fazer nada para mudar isso, mas pessoas que se valorizam e tem um pouco de consciência, com certeza não entrarão nesse "falso amor".
 Deve estar se perguntando o porquê do meu assunto foi de livros para a realidade, talvez porque, a realidade de hoje é o que influencia os novos livros de romance e infelizmente não podemos fazer nada, Jane Austen sempre será apreciada por desfrutadores de clássicos, porém, se alguém escrever um romance como de Jane Austen hoje, mesmo a história sendo na atualidade, o livro não será do mesmo sucesso do que poderia ser no século XVII, seria pela nova geração considerado como um dos piores livros da atualidade, ou seja, chato. As coisas mudaram, a geração mudou, os gostos mudaram, e para mim, mudou pra pior, cada dia desvalorizam mais o amor e os detalhes, cada dia gostam de coisas mais fúteis e que "apodrecem" o cérebro e influenciam as pessoas a pensar de um jeito estúpido, sem julgar os gostos de ninguém, cada um gosta e lê o que quer, mas realmente, a inocência, a educação, a beleza da paixão está se perdendo com o tempo, e um dia, permanecerão nos livros da Jane Austen, onde leitoras inconformadas com o mundo e o amor de hoje, vão se refugiar nesses livro, como é o meu caso, não pensem que sou iludida, aceito muito bem que as coisas mudaram, mas nunca, de fato, NUNCA aceitarei a futilidade e a falta de valorização dos sentimentos de hoje em dia.

0 comentários:

Postar um comentário