terça-feira, 3 de dezembro de 2013

A minha teoria da relatividade.

"A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original." - Albert Einstein.
Isso é felizmente uma dádiva que o ser humano recebeu, o conhecimento, a sabedoria, a reflexão, a dúvida. Nunca deixe de se questionar, de pensar nas possibilidades, nos fatos, nas consequências.
Uma pessoa dona de uma mente ampla, uma mente aberta à opiniões e disposta a ouvir e conhecer, é uma pessoa sábia.
Generalização, julgamentos precipitados, ganância, extremismo e obsessão são características de uma mente fechada, totalmente contrária da mente que reflete, cogita e questiona.
"As pessoas daquele partido são desonestas" "homossexuais não prestam" "muçulmanos são violentos", será? Se você permitir-se a compreender e entender as pessoas, verá que não é bem assim. Podem haver tanto pessoas desonestas naquele partido, quanto honestas, como também podem haver pessoas desonestas no seu próprio partido. Podem haver homossexuais de mau caráter como de bom caráter. Podem haver muçulmanos violentos como muçulmanos pacifistas, é relativo. Para alguns, a minha forma de justiça pode ser uma injustiça, o meu ver de uma pessoa de bom caráter pode ser uma pessoa de mau caráter ao ver de outras pessoas, opiniões e pensamentos são diferenças que devem ser aceitas sem sermos extremistas no nosso próprio jeito de ver. Se é que existe uma verdade universal, não se sabe exatamente, mas ainda podemos distinguir as coisas boas das coisas ruins, o que é ético e antiético, o que faz bem para os outros e para nós e o que não faz, nossa decisão é escolher qual caminho seguir, o caminho do respeito, da ética, da moral, da reflexão, da bondade e compreensão ou o caminho cego da ignorância?
Quando você se permite a seguir o caminho da reflexão, o obstáculo chamado ignorância começa a cessar, tudo começa a ficar mais claro, mais compreensível, você se torna mais sábio, e quanto mais se questiona, mais reflete e mais conhece, você vai adquirindo mais sabedoria e conhecimento, tornando isso um ciclo contínuo, uma mente que se amplia constantemente, porém nunca se fecha.
Eu não sou nenhuma santa, não sou onisciente, sou uma pessoa que tem muito o que aprender, tenho defeitos e cometo erros, porém, eu nunca impedi minha mente de se ampliar a cada oportunidade e possibilidade. Se todos nós refletíssemos sobre nossas atitudes, sobre as atitudes das pessoas, talvez o mundo fosse um pouco melhor, ou pelo menos, as pessoas.

0 comentários:

Postar um comentário