sexta-feira, 23 de maio de 2014

Dos Amores que Perecem na Eternidade

Genebra e Lancelote.
Que as Brumas -
De uma alma matutina -
Não separe Lancelote
De sua amada Genebra.
Nas águas cristalinas
Onde Excalibur
Permanece enterrada
Nas estranhas das rochas
Da Avalon esquecida.
Conta a Dama do Lago
Para os que são destinados à grandeza,
guiados pelo Mago,
Amados como Arthur e sua destreza.

Que o Inverno
Não traga o Inferno
Capaz de separar Dante
Da bela Beatrice
Dos olhos instigantes.
Onde não há Purgatório
Apenas o Paraíso,
No sonho onde amam-se
Entre abraços -
Entre sorrisos;
Um Paraíso distante
Do Inferno de Dante.

Que as pistolas
Permaneçam na caixa,
Incapazes de tirar a vida
Do pobre Werther Apaixonado.
Que seus sofrimentos
Não afastem a sua Carlotinha
Que o beija escondendo
Os seus reais sentimentos
Dos seus comprometidos.
Que o tempo passe,
e sua memória 
Permaneça,
Até que Goethe a esqueça.

Corajosa Brunhilde
Dos sonos profundos
Aguarda seu amor Siegfried
Com sua Notung
Regressar do Nibelungo
De nariz adunco,
Obcecado pelo destino.
Através dos tempos
Adormecida em seu círculo de fogo
Destinada à miséria
De um amor perdido pela memória
Em um castelo escondido,
Longe de sua antiga imortalidade,
Em busca da mortal felicidade.

Afrodite, dos cabelos dourados
Recebeu a maçã de Páris
Para que seu destino com a bela Helena
Pudesse ser cruzado.
De um desejo súbito
Resultou guerra,
De um amor proibido
Morre o grande Aquiles,
Perde-se Odisseu,
Regressando a sua terra,
Para os braços de seu amor Penélope,
Depois das aventuras pelo mar Egeu.

Não navegues sem um Astrolábio
Grande guerreiro bravo.
Fruto de Abelardo e Heloísa
O amor intenso
Pelo consenso
De uma eterna paixão
Escrita por cartas
Através da Dor
De lágrimas corrompidas
Pelo amor
E pelas as injustiças da vida,
Seus corpos juntos perecem,
Em uma profunda serenidade
Até a Eternidade.

E da tristeza nasce Tristão
Envolvido nos braços
Da adorável Isolda
Dona do seu bravo coração.
Não te esqueças
O amanhã é cheio de poréns, 
cheio de suposições,
Provindas de aquéns,
Não se sabe o que há de vir.
Das poções mágicas do amor,
Atingiu-se uma lança,
No peito do bravo guerreiro,
Que perece no campo de batalha,
Aguardando o rosto que o curaria,
Deste pesadelo.


Tristão e Isolda.

0 comentários:

Postar um comentário