domingo, 13 de março de 2016

Poesia Comprometida


Minha Alma é itinerante
De vez em quando é Trem em trilho
E de outras é Vagante. 
Tento alcançar o Horizonte
Acreditando que sua existência não é mera Ilusão
Acreditando que sua inalcançabilidade é uma Fonte
De poesia e efusão.
Porque sei que do outro lado
Mil novos mundos estão
Mil novas vidas me esperarão.
E se eu morrer tentando alcançar o horizonte
Não morrerei em vão,
Pois toda a caminhada
Não foi para achar o outro lado
Mas foi pela aventura de procurá-lo. 
 
Problemáticas as vozes
Que dizem que sou um problema
Pois meus pensamentos ferozes
Dizem que sou um dilema.
E não é qualquer equação
Que descobre a incógnita
Da minha mente
E principalmente
Do meu coração.
 
Minha alma sofre sem o esforço de sofrer fisicamente
Pois é o néctar de sua sobrevivência
E de seu desenvolvimento.
Ela sabe que o sofrimento é resistência
Ela sabe o que sofrimento sustenta
A insustentável leveza do ser
E o pesar do sentir.
Cada átomo meu é sentimento
E cada molécula é sensação.
Como se cada partícula que em mim habita
Tivesse uma história a contar.
Sou feita de muitas coisas,
Mas principalmente sou feita de pesares
De sentimentos e felicidades.
Sinto tudo com intensidade
Pelo prazer de sentir
Pela aventura de poder chorar
E de poder sorrir.

0 comentários:

Postar um comentário