quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Quando te vejo...

Quando te vejo...
Meu coração palpita
Meus olhos se umedecem
Até que a primeira lágrima precipita

Minhas pernas ficam lassas
Minhas mãos trêmulas
Meu coração se descompassa
Em batidas efêmeras

Meu corpo não consegue evitar
A felicidade em te ver
Tua presença me consome
Tua existência me faz estremecer

Arrepio-me subitamente
Quando me perco em teu olhar
Tuas palavras suaves e transcendentes
Me fazem sonhar

E quando sinto o teu abraço envolvente
Me sinto protegida
Em teus carinhos deferentes
Me sinto amada, submergida
E em teus dóceis toques
Sinto minha felicidade enaltecida

Nossos risos estridentes
Os rostos sorridentes
E uma vontade incessável
De alcançar o inalcançável
Juntos, parece que somos invencíveis...

Te sinto tão intensamente
Que no meu âmago sinto arder
Fisicamente
A loucura de te viver

E quando tu te vais
Meu corpo não possui a resiliência
De aceitar a tua ausência...

Com lágrimas nos olhos
Lembro de ti, e te sinto aqui,
Perto de mim...
Pois mesmo longe, o que eu sinto por você
Não tem distância,
não tem fim.


0 comentários:

Postar um comentário