quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Calcantes Desgarrados

 Não tenho pés delicados,
 Meus pés e dedos são compridos para poder escalar melhor as árvores.
 Meus pés não são macios,
 Minha sola é espessa e escura.
 Meus pés têm calos e arranhões.
 Como os soldados de Esparta que marchavam descalços para endurecer seus calcantes.
 Meus pés estão sempre sujos,
 Mas minha alma fica limpa e leve.
 Corro descalça em superfícies macias para me sentir leve.
 Corro descalça em superfícies ásperas, em britas, em terrenos espinhosos,
 Para me sentir invencível, irrefreável.
 Minha mãe sempre me fala para colocar um calçado, desde criança.
 Eu coloco, meus pés logo querem se libertar deles,
 Para poder sentir e conhecer cada superfície em que eles percorrem.
 Pela liberdade dos descalços
 Pela sensação da primitividade do nosso corpo,
 De não termos medo das dores que nos fortalecem,
 Pela beleza das indelicadezas
 Dos instintos e robustezas.
 Percorro minha jornada a pé,
 E de pés descalços.

Fotografia de minha autoria.

0 comentários:

Postar um comentário